Páginas

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Paralimpíadas de Londres: gaúcho ganha medalha inédita na esgrima

Em sua primeira participação em Jogos Paralímpicos, Jovane Guissone conquistou a inédita medalha paralímpica na esgrima.

Quando chegou na Arena Excel, o gaúcho de 29 anos era apenas o 13° no chaveamento. O caminho não era dos mais fáceis, mas mesmo com duas derrotas durante esta quarta-feira, Jovane chegou à final e acirradamente derrotou Chik Sum Tam (Hong Kong) e faturou o ouro na prova de espada - categoria B - da esgrima em cadeira de rodas. O bronze ficou com o francês Alim Latreche.

Eliminado nas quartas de final do florete, o único representante brasileiro na modalidade sofreu desde o início na espada. Pelas eliminatórias foi derrotado logo de cara pelo bielorrusso Mikalai Bezyachny por 5 a 0. Na sequência derrotou o polonês Grzegorz Pluta por 5 a 3. Diante do russo Alexandr Kurzin nova vitória: 5 a 3 e mesmo sendo derrotado por Pierre Mainville por 5 a 2, avançou.

Jovane Guissone esgrima paralimpíadas (Foto: Getty Images)
Gaúcho comemora a vitória. Foto: Getty Images

Nas oitavas de final, arrasou o mesmo Mainville: vitória por 15 a 6 diante do canadense. O francês Marc-Andre Cratere foi a vítima nas quartas. Garantiu-se na briga pelo ouro ao derrotar na semi, o também francês Alim Latreche.

O duelo mais complicado se deu na final. Jovane saiu ganhando diante do esgrimista chinês. O asiático se recuperou e ia vencendo por 10 a 8. No empate por 14 a 14, o brasileiro foi ousado, confirmou o 15 a 14 e trouxe para o Brasil a inédita medalha na esgrima.

Atletismo brilha mais uma vez em Londres

Menos de 24 horas após seu guia cair e abandonar a disputa por medalha nos 400m T12, Terezinha Guilhermina e Guilherme Santana usaram a velocidade e completaram a prova dos 100m T11 em 12s01, novo recorde paralímpico.

A emoção ficou maior. Tudo por que Terezinha puxou um bonde verde-amarelo. O pódio das cegas mais velozes do mundo foi todo brasileiro: Jerusa Santos e o guia Luiz Henrique Barboza, cruzaram a linha de chegada em 12s75 e ficaram com a prata; Jhulia Santos com o guia Fábio Dias de Oliveira foi bronze ao concluir a prova em 12s76. A chinesa Jia Juntingxia incomodou mas terminou na quarta colocação (12s79).

 Terezinha Guilhermina e Guilherme Soares, Jerusa Gerber e Luiz Henrique, Atletismo, Paralimpiadas (Foto: Agência Getty Images)
Brasileiras lideraram os 100m. Foto: Getty Images.

Pódio, Atletismo, Paralimpiadas, Terezinha (Foto: Patrícia Santos / CPB)
Pódio verde-amarelo. Patrícia Santos/Comitê Paralímpico Brasileiro

Jhulia ganhou o bronze com um sentimento diferente. No último domingo pelos 200m, a paraense chegou em quarto lugar, herdou o bronze da própria Juntingxia, que foi puxada pelo seu guia, mas um protesto chinês tirou a medalha da brasileira.

Veja outros resultados do atletismo:

Arremesso de peso feminino F11/F12 - Izabela Campos - 7° lugar, com marca de 8,71m e 966 pontos.

100m T46 feminino: Sjeila Finder - 5° lugar, com tempo de 13s33.

+ atletismo: A equipe masculina do revezamento 4x100m masculino T42/46, terminou em segundo lugar, mas perdeu a medalha de prata porque Antônio Souza tocou Yohansson Nascimento fora da área permitida e o time foi eliminado. Com a estrela Oscar Pistorius, a África do Sul ficou em primeiro com direito a novo recorde mundial (41s78), a prata e o bronze respectivamente, ficaram com a Alemanha e China.

Alan Fonteles fez o terceiro melhor tempo de sua série e passou em 7° lugar para a final dos 100m T44. André Oliveira (12s35) não se classificou para a disputa por medalhas que ocorre nesta quinta-feira.

Nas eliminatórias dos 4x100m T11/T13, a equipe formada por Felipe Gomes e Laércio Martins; André Andrade; Daniel Mendes e Heitor Sales; e Lucas Prado e Justino Santos foi desclassificada por erro na passagem do bastão.

Nos 100m T13, Joana Silva desistiu da prova, enquanto Viviane Soares, de apenas 16 anos conseguiu vaga para a final. Ela fez o oitavo melhor tempo (13s22).

André Brasil fica em medalha nos 400m

Ouro nos 400m livre S10 em Pequim, André Brasil abriu a prova de hoje pela mesma modalidade em ritmo forte, porém seu ritmo diminuiu e o brasileiro terminou em 4° lugar com tempo de 4min11s23.

Ian Silverman, dos Estados Unidos, dono do novo recorde paralímpico (4min04s91) ficou com o ouro; a prata ficou com o canadense Benoit Huot (4min06s58) e o bronze com o britânico Robert Welbourn (4min08s18).

Mais tarde, Adriano Lima ficou apenas em 7° lugar com tempo de 1min43s88 nos 100m peito SB5. Raquel Viel, pelos 100m costas S12 chegou em 7° lugar após concluir a prova em 1min21s10.

Veja outros resultados do dia:

BOCHA - na disputa individual, Daniele Martins, José Carlos Chagas e Maciel Sousa Santos começaram com vitória. Dirceu Pinto e Eliseu dos Santos, bicampeões nas duplas, estreiam nesta quinta-feira.

CICLISMO MASCULINO - João Schwindt - 9° lugar

FUTEBOL DE 7 - Brasil 1 x 1 Ucrânia. Seleção enfrenta a Rússia na próxima fase.

GOALBOLL: Brasil 3 x 0 Bélgica (torneio masculino; seleção vai enfrentar o vencedor de Irã x Finlândia). Brasil 0 x 2 Japão (torneio feminino - seleção eliminada nas quartas de final)

TIRO ESPORTIVO MASCULINO - Carlos Garletti - 15° lugar na categoria R7-50m Rifle 3 posições SH1

VÔLEI SENTADO MASC. - Brasil 2 x 3 Rússia (25/18, 15/25, 15/25, 25/19 e 8/15) - seleção eliminada nas quartas de final.


Quadro de medalhas

1. China - 60 ouros, 50 pratas e 49 bronzes - total de 159
2. Rússia - 28, 25 e 20 - 73
3. Grã-Bretanha - 25, 36 e 31 - 92
4. Ucrânia - 22, 17 e 20 - 59
8. Brasil - 12, 8 e 5 - 25
Web Analytics