Páginas

sábado, 4 de agosto de 2012

Diário da Faxineira #8: Capítulo 8 - A soneca na casa do bancário e a lingerie vermelha

Tu deve tá numa curiosidade só pra saber como foi minha sexta. Vai dizer que tu não lembra que eu tinha um encontro? Pois é, vou te contar: foi tudo de bom, faltou um pouquinho só pra ser perfeito. E tu até já imagina o que faltou! Pois é, prometi e cumpri, não dei no primeiro encontro! E não tô mentindo, mas vou te dar a real, que foi difícil, porque tô na seca, tu bem sabe, mas vai ver que assim dá certo. Rezo pro Santo Antonio todo dia, agora então, não posso falhar um diazinho, porque tem alguém na mira.

Deixa eu te contar melhor como foi na sexta: o moço me buscou em casa, tem um carrinho bom, me levou numa pizzaria da boa de rodízio e na hora de pagar, eu nem me cocei, esse negócio de dividir conta com homem logo de cara no primeiro dia não dá, depois acostuma mal. O papo foi bom, o Clemilson é bom de assunto, conversador que só ele, animado, alegre, gosto de homem que me faz rir, agora só falta saber se vou gostar daquilo. No segundo encontro, que vai ser amanhã, já posso sair do atraso. Oba! Pô, já me segurei no primeiro dia, acho que já tá bom. Tu também não acha? Já separei até lingerie nova vermelha da minha compra do Paraguai.

Voltando pro assunto da minha limpeza. Tá brabo de limpar casa hoje, tô na casa do bancário, aquele que tem um monte de frescura de creme no banheiro, até comprou um monte de produto do Paraguai, de euzinha aqui. O patrão é bom, daqueles que não repara muito na limpeza, ainda bem, porque não tô muito pro trabalho, não. Queria mais é esticar o meu cochilo. Quer saber: já dei um cochiladinha depois do almoço, cama grande, peguei coberta e tudo, uma beleza de sono, deu até pra sonhar. Não vou te contar o sonho, não, porque é daqueles que tem ser censurado...

Bom, agora tô fazendo aquela meia sola sabe, a limpeza só onde passa o trem mesmo. Deus é pai, ainda bem que hoje não tô na Doutora em Letras que é pra lá de exigente com todos os cantinhos. Signo de virgem é uma praga, dá vontade até de perguntar na entrevista de trabalho, se é de virgem não aceitar a faxina, mas a vida não tá pra escolher patrão, não! Até porque a Doutora em Letras é de virgem, mas é também bacana pra caramba comigo, já te contei, né? Pior é quando ela pede pra limpar os livros, tirar um por um daquela estante gigante e vou te dizer que tem livro que não acaba mais naquele apartamentinho.

Vou terminando meu assunto por aqui, um bom fim de semana pra ti. O meu deve de ser muito do bom, se Deus quiser!


---
Este é um post especial do TCHÊcnologia publicado toda quarta-feira, às 22h, na seção Diário da Faxineira, editada por Joselma Noal.
Web Analytics