Páginas

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Jô por Acaso #21: Uma greve monológica


Como docente do ensino público federal, nomeada em 2010, estou pela primeira vez em greve e não gosto nada da situação. Antes de fazer parte de uma greve, não sabemos muito bem como é viver este estado de expectativa e frustração.

Sempre apoiei professores em greve, porque sei, como todos as pessoas razoavelmente informadas deste país, sobre as condições precárias e o salário de miséria que recebem os responsáveis pela educação brasileira.

Entra governo, sai governo e a situação de descaso, com a educação, permanece nos diferentes níveis educacionais de nosso Brasil. Uma lástima porque país que não investe, de modo significativo, em educação não sai do lugar, fica em estado de falso desenvolvimento, como acontece conosco hoje.

Investir em educação todos sabem que não quer dizer simplesmente encaminhar uma verba às escolas e/ou universidades, abarca muito mais que isto. Envolve atualização, capacitação, incentivo à pesquisa, e claro, salário compatível com a função, coisa que no magistério soa como ilusão, utopia, história de contos de fadas.


Até o momento o governo federal não apresentou nenhuma proposta aos docentes do ensino superior, nenhum plano de carreira que contemple as justas reivindicações da categoria. Vivemos uma situação de pouca vergonha, uma falácia, um engodo!

Não ministro aulas desde 17 maio. Os acadêmicos me perguntam ansiosos sobre o retorno às aulas, logicamente, como cidadãos instruídos, apóiam e entendem a greve, no entanto há formandos e calouros com diferentes entusiasmos e motivações à espera de um recomeço. Fico sem graça, não sei nem o que dizer, digo o que sei, que nada aconteceu até o momento, que a greve parece não atrapalhar em nada o desenvolvimento do país, que os governantes não percebem nossa utilidade, nossa serventia. Desculpem os termos jocosos, mas é assim que percebo o desprezo aos professores neste momento.

É uma greve monológica, só há um discurso, uma única voz fala, a outra se cala, não quer ouvir, muito menos discutir!

---
Este é um post especial do TCHÊcnologia publicado toda quarta-feira, às 22h, na seção Jô por Acaso, editada por Joselma Noal.
Web Analytics