Páginas

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Jô por Acaso #15: A Beleza de um Olhar

Não gosto de quem não olha nos olhos quando conversa, pessoas que fogem de olhar os outros nos olhos, para mim não são confiáveis. Se você faz este tipo me desculpe, mas seu estilo não me inspira confiança. Bem sei que gente que olha para baixo pode ser por timidez e quem olha pra cima pode ser por arrogância, mas gente que escapa o olhar pro lado, para mim, não pode ser gente boa.

Os olhos não mentem, se alguém sorri não precisa olhar os lábios para saber, os olhos dizem tudo. O olhar guarda segredos, quando alguém está apaixonado, triste, nervoso, doente ou sadio, tá tudo lá, guardado no fundo do olho. Dizem as pessoas mais vividas que até gravidez olhando nos olhos já se sabe, não precisa nem exame de sangue. Aliás O segredo dos seus olhos é o nome de um filme argentino, bom título, belo filme, fica a dica!

Voltando a reflexão sobre o olhar revelador: recordo um amigo, que adivinhou a separação de uma amiga comum, ao encontrá-la casualmente. Me contou ele que, bateu os olhos nela, e percebeu na hora o brilho da expectativa. Claro, era o novo mundo que se abria para a recém separada de um casamento sofrido e opressor, e isto tudo tava ali, estampado no olhar, o amigo sensível soube traduzir.

Casais apaixonados se olham nos olhos. Inclusive, na hora da benção das alianças no casamento religioso na igreja católica, o casal fica de frente um para outro e devem olhar um nos olhos do outro e dizer aquelas conhecidas palavras para confirmar a união para todo o sempre.

E digo tudo isto, porque meu pai andou doente e fazia muito tempo que não via seus olhos azuis tão límpidos e faceiros, me alegrou e muito. Meu pai é mimado e sensível e tem os olhos azuis de menino. Olhos azuis que agora voltaram a sua cor intensa, o tom do mar pelo qual minha mãe um dia se apaixonou, e isto já faz um bocado de tempo, e desejou ter filhos de mesmo olhar. Como minha mãe é pessoa otimista, ao não gerar filhos de olhos azuis, colocou suas esperanças nos netos, infelizmente até agora ninguém teve a sorte de herdar tal olhar.

Desejo a todos nós: olhar humano e sincero ao mirar a vida; sensibilidade para perceber no olhar do outro quando algo não vai bem e coragem para enxergar os segredos maravilhosos que o mundo nos tem a revelar a cada dia.

---
Este é um post especial do TCHÊcnologia publicado toda quarta-feira, às 22h, na seção Jô por Acaso, editada por Joselma Noal.
Web Analytics